09 julho 2011

Canção Nostalgia por Carlos Burity

            
                                            Poema de: Ana Maria de Mascarenhas
                                   São dela muitos sucessos: 
                                                                          Maria provocação
                                                                          Mulata é a noite
                                                                          Mundo Novo
                                                                          Senhora da Muxima
                                                                          Benguela - Rua 9

                     
                    Ana Maria - certamente um dia será reconhecida!
                                                                                          


Porque foste embora assim sem nada dizer
Sem tempo sequer para um beijo
Como suportar agora tanta tristeza
Como acalmar esta ansiedade
Vivo no desejo de te ver, e não te vejo
Esta realidade vai matar meu coração
A vida não pára e na vida
Vou pelos caminhos do nada
Perdida em minha saudade
Vivo no desejo de te ver e não te vejo
Esta realidade vai matar meu coração
A vida não pára e na vida
Vou pelos caminhos do nada
Perdida em minha saudade  
Vivo no desejo de te ver, e não te vejo
Esta realidade vai matar meu coração
A vida não pára e na vida
Vou pelos caminhos do nada
Perdida em minha saudade
Canção nostalgia, canção desespero
De tudo que queria
Hoje nada espero
Fica em teu lugar a esperança do amanhã
Na flor que nascer
Na criança que sorrir
Eu estarei nos sons dos kisanjes
Nas cordas d´uma viola
Nos ritmos quentes de Angola
Eu estarei nos sons dos kisanjes
Nas cordas d´uma viola
Nos ritmos quentes de Angola
Porque foste embora assim sem nada dizer
Sem tempo sequer para um beijo
Como suportar agora tanta tristeza
Como acalmar esta ansiedade
Vivo no desejo de te ver, e não te vejo
Esta realidade vai matar meu coração
A vida não pára e na vida
Vou pelos caminhos do nada
Perdida em minha saudade
Canção nostalgia, canção desespero
de tudo que queria
Hoje nada espero
Fica em teu lugar a esperança do amanhã
Na flor que nascer
Na criança que sorrir
Eu estarei nos sons dos kisanjes
Nas cordas d´uma viola
Nos ritmos quentes de Angola
Eu estarei nos sons dos kisanjes
Nas cordas d´uma viola
Nos ritmos quentes de Angola

Canção nostalgia, canção desespero
de tudo que queria
Hoje nada espero

                 
        Canção nostalgia por Carlos Burity
Informação Faço aqui referencia a que esta letra foi escrita 
por Uma Senhora da Musica Angolana, Ana Maria de Mascarenhas
Pois fui colher informação à entrevista  dada por ela a Paulo Araújo.
Entrevista essa onde Ana M. Mascarenhas diz ter cedido o poema
a Carlos Burity, e que ela se inspirou na morte de um ente querido 
(o Marido) que terá morrido de ataque de miocárdio e dai esta
letra de extrema beleza. 

Pode consultar a entrevista no link abaixo (ao minuto 28´,50´´ até 31´,35´´)
---------------------
Quer saber mais?...Siga mais este link.


                                                                                                       

Sem comentários:

Crepúsculos - "Sunsets"

Angola Terra Linda... No Miramar !

Sol di Manhã - Ritinha Lobo

Waldemar Bastos - N´duva (Na Morte da Cantora)

A Bela Ilha da Madeira - Pérola do Atlântico

Subindo o Rio Douro - Portugal

Tabanka Djaz - Nha Corçon ... tradução PT

Yami Mae Negra - Ao Vivo

Waldemar Bastos - Por do Sol

Luanda Moderna - Serenata a Luanda - Eleutério Sanches