26 fevereiro 2012

Luís de Camões Endechas à Bárbara Cativa


 Endechas à Bárbara Cativa(Escrava)
                                                                                                                           

Aquela cativa
Que me tem cativo,
Porque nela vivo
Já não quer que viva.
Eu nunca vi rosa
Em suaves molhos,
Que pera meus olhos
Fosse mais fermosa.



Nem no campo flores,
Nem no céu estrelas
Me parecem belas
Como os meus amores.
Rosto singular,
Olhos sossegados,
Pretos e cansados,
Mas não de matar.


Uma graça viva,
Que neles lhe mora,
Pera ser senhora
De quem é cativa.
Pretos os cabelos,
Onde o povo vão
Perde opinião
Que os louros são belos.


Pretidão de Amor,
Tão doce a figura,
Que a neve lhe jura
Que trocara acor.
Leda mansidão,
Que o siso acompanha;
Bem parece estranha,
Mas Bárbara não.


Presença serena
Que a tormenta amansa;
Nela, enfim, descansa
Toda a minha pena.
Esta é a cativa
Que me tem cativo;
E. pois nela vivo,
É força que viva.

2 comentários:

o escriba disse...

OLá, Amigo Luigi!

Já há algum tempo que não vinha aqui ao teu estaminé e resolvi pôr a vista em dia!
Tá lindo! Cada vez mais sumarento! Tena aqui um cantinho recheado de coisas boas. Gostei muito dos poemas, das músicas, das mensagens!

bjocas grandes
Esperança

Luís Bastos disse...

Obrigado por comentares, é um incentivo para
continuar!
Amiga Hope, bjoca no teu coração

Luis

08/05/2012

Crepúsculos - "Sunsets"

Angola Terra Linda... No Miramar !

Sol di Manhã - Ritinha Lobo

Waldemar Bastos - N´duva (Na Morte da Cantora)

A Bela Ilha da Madeira - Pérola do Atlântico

Subindo o Rio Douro - Portugal

Tabanka Djaz - Nha Corçon ... tradução PT

Yami Mae Negra - Ao Vivo

Waldemar Bastos - Por do Sol

Luanda Moderna - Serenata a Luanda - Eleutério Sanches